Abre aspas " CARTA PARA AS MULHERES

Fulana, Eu também imaginava como seria passar o resto da vida beijando o cara logo nos primeiros instantes do primeiro beijo. Eu imaginava ele acordando ao meu lado, eu usando um pijama vergonhoso de bichinho, mas logo já “des”imaginava e imaginava que na verdade eu usava um de renda vermelho. Imaginava ele conhecendo meus pais, colocando ração para o meu cachorro e fazendo fondue em uma máquina de fondue que eu nem tenho. Imaginava ele deixando de ir beber com os amigos e surgindo na minha porta com um bouquet de flores. É aí que a imaginação tirava os pés do chão. Então, já “des”imaginava outra vez e imaginava a primeira briga. O beijo para fazer as pazes. O rosto esmagado de tanto dormir em uma manhã de domingo. Imaginava o sobrenome junto. A secretária eletrônica gravada com as nossas vozes. Não importa se eu nem tinha a ouvido. No maior dos níveis de imaginação, eu conseguia sentir e até cheirar a gola da camisa social que nem toquei. Aí eu voava de novo. Imaginava a saudade, a paixão. Sentia enjôo e parava para imaginar a rotina ficando chata. Mas aí imaginava a gente se amando, e ele se ajoelhando, pedindo minha mão e abrindo o jornal para pesquisar um apartamento de duas vagas de garagem. Voltava a imaginar o casamento, os filhos, os olhos puxadinhos do Lucas, as sardinhas da Bianca. Imaginava ele no meio de uma praça de alimentação de shopping, contando histórias da época do colégio para fazer o menino parar de chorar. E também a viagem para Paris, para Argentina, para Ilhabela. A lua-de-mel, o carro com um grande porta-malas, a vida confortável e a sala aconchegante e quente. E tudo isso eu conseguia imaginar sem nem ter trocado uma palavra com quem quer que fosse o “ele”. Diz a doutora que imaginação não tem cura. E que no máximo sai um livro disso daí. Sabe, minha parceira, você não é louca e você não está sozinha. Somos mulheres de imaginação. E sonhos. "
Fecha aspas.

Marcella Brafman é jornalista e mineira. Sofre de imaginação fértil e só passa escrevendo. Sonha com uma vida um pouco mais Sem Clichê


Queria 1- pedir desculpas pela minha ausência, mas é que estava muito loucamente ansiosa com o resultado do vestibular para federal de arquitetura para me concentrar em algo, e adivinhem passeeeeeeeeeei (#todoscomemora) para o segundo semestre, e minhas aulas só devem começar em agosto! (Nem queria, magina..) e 2-  hoje trouxe um texto delicioso para vocês lerem do Sem Clichê, um blog recheado de textos ótimos, que descobri já tem um tempinho já, escritos pela blogueira e jornalista Marcella Brafman. Ainda não conhecia o blog dela? Então dá uma olhadinha que tenho certeza que você vai se identificar com algum texto! Espero que tenham gostado do texto e da indicação! Beijoooos.

2 comentários:

  1. Já tinha lido o texto, mas acho que não era no blog dela!
    rsrs

    vou lá ver!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por ter passado flor! É uma grande vitória, não?

    E adorei o texto, bem mulherzinha! hah

    bjoks

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...